A Última Ceia




Há uns anos tive a oportunidade de visitar A Última Ceia de Leonardo da Vinci no mosteiro de Santa Maria delle Grazie, na Itália. Na época, já fazia uns 30 anos que a complexa restauração (que durou 20 anos) tinha terminado. Achei interessante saber que o principal temor do restauro "foi o de se aproximar de texto pictórico tão famoso" segundo Pietro C. Marani.


Em consequência da queda de fragmentos da pintura, a restauração de emergência foi iniciada com determinação e inteligência, em 1977.


E qual não foi a surpresa dos restauradores em poder apreciar a beleza e a quantidade inesperada das cores e formas originais da obra, preservadas sob as camadas de repintes modernos e cinco séculos de sua atribuladíssima história.

Fiquei impressionado em saber que a pintura desde a sua origem tinha sido várias vezes alterada e deformada, não só pela ação do tempo, mas por leituras e interpretações cheias de preconceito feitas no passado.


Para se ter uma ideia, os repintes, além de deformar rostos, expressões, posturas e cores, haviam escondido os efeitos da composição, profundidade e o jogo de luz e sombra propostos originalmente por Leonardo da Vinci.


Não me considero um cara religioso, mas confesso que essa experiência me marcou.

Vale muito a pena visitar.


A parede, onde está pintada a Última Ceia, ficou intacta após um bombardeio em 1943, durante a 2a Grande Guerra, apesar do teto e de toda a estrutura ter desabado.

E, acredite, no passado, abriram uma porta, hoje fechada, no meio da pintura.


A pintura retrata a ultima ceia de Jesus com seus apóstolos, não no momento da eucaristia, como a maioria pensa, mas sim, no momento imediatamente anterior à identificação de Judas, onde as palavras de Jesus " Um de vós me trairá" repercute como ondas sobre os apóstolos. O que causa o imediato espanto e reação emocional, determinando uma variedade de gestos, atitudes e movimentos.



Quando visitei a pintura não fazia ideia da grandeza da obra e de todos estudos do movimento, fenômenos mecânicos, lei da acústica, ótica, dinâmica, perspectiva, anatomia e outros que foram utilizados por Leonardo da Vinci na sua concepção.


É impressionante!


Na pintura, as figuras estão agrupadas em quatro blocos de três. Os apóstolos, não bebem, não comem e vemos Pedro chamando João para interpelar Jesus sobre o que disse. Na extrema direita Simão estende as mãos no ato de questionar-se, sem resposta.



No lado oposto, André se espanta com as palavras ditas e assim por diante.




Uma coisa que me chama a atenção na obra são os traços delicados de João. Quem sabe isso seja, ainda, reflexo das "leituras e interpretações criticas do passado".


Não importa! Para mim sempre vejo Maria Madalena e não João.





E por que resolvi falar da Última Ceia aqui?

Porque uma parte significativa da história aconteceu em volta de uma mesa.




PARA SEU RESTAURANTE LUCRAR MAIS

CURSOS ON-LINE

PLANILHAS EXCLUSIVAS

CURSOS PRESENCIAIS

MENTORIA















39 visualizações
CONTATO PARA CONSULTORIA

Para consultoria presencial ou online (via skype),
use o formulário de contato para contar um pouco
sobre o seu negócio.

Rua Depu​​tado Lacerda Franco, 300 — 19º andar

São Paulo, SP — Brasil

Tel: + 55 11 3030 9500​

contato@christianconsult.com.br

  • Preto Ícone YouTube
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2019 by Christian Consult | Christian Consult - Inteligência Para Restaurantes | CNPJ 26.694.561/0001-21 | Entrega imediata